Sem culpa! Veja como dizer “não” para o seu filho sem se sentir mal

2017-05-29_NAO_CRIANCA

 

Para os papais e mamães, dizer “não” ou “não pode” aos filhos é uma das tarefas mais difíceis na criação dos pequenos. Muitos sentem culpa, têm medo de magoar, ou sentem receio da criança se sentir rejeitada. E às vezes, pelo cansaço, o “não” é omitido, na forma de evitar birras e choro. Porém, essa palavrinha é essencial na educação e é uma das formas de contribuir para o desenvolvimento da bençãozinha.
O “não” deve ser dito desde cedo. Nos primeiros meses de vida, por questão de segurança, pois a criança não pode colocar determinados itens na boca, ela não deve ficar sozinha na beira de uma piscina, e por aí vai. Logo depois, para ela entender limites e respeito, como não maltratar o próximo, não mentir, outros “nãos” também devem ser ditos. Mas como dizer “não” sem se sentir mal por isso? Damos algumas dicas abaixo:

1 – “Quem ama, educa”
O NÃO pode ser considerado uma forma de educar, e acreditamos que “quem ama, educa!”. Como mencionamos acima, o “não” é uma forma de proporcionar segurança para a bençãozinha, e todos querem ver os pequenos bem seguros, certo? Na Bíblia também diz, em Provérbios 3:12, “pois o Senhor disciplina a quem ama, assim como o pai faz ao filho de quem deseja o bem”, ou seja, disciplinar os filhos é uma demonstração de amor, então não se sinta culpado por isso.

2 – Tenha empatia
Empatia é se colocar no lugar do outro e os pais também devem ter esse sentimento para com os filhos. Antes de repreendê-lo, coloque-se no lugar dele. Veja se é hora de interferir no seu comportamento imediatamente ou é
melhor esperar chegar em casa para evitar constrangimento. Observe também se o “não” pode ser negociado. Por exemplo, se o seu filho está assistindo um desenho que gosta muito e você já está preste a dizer NÃO pois ele precisa
fazer outras obrigações, veja se ele pode apenas terminar o episódio que está assistindo, até a próxima atividade. Essa é uma forma de se colocar no lugar dele e dizer “não” apenas no momento mais oportuno. Desta forma, se sentirá bem melhor.

3 – Persista
Em algumas situações, ignorar o “não” é mais fácil, no entanto, isso não é recomendado. As bençãozinhas tendem a repetir as suas atitudes, independentemente se receberam algum NÃO. Por isso, persista com a disciplina, diga quantas vezes for necessário até que o pequeno mude de fato o seu comportamento. Ao ver o resultado, se sentirá gratificado e perceberá que fez um bem maior para o seu filho.

4 – Seja coerente
As crianças seguem muito o exemplo dos pais. Então, tenha uma atitude que seja coerente com o que está falando. Não adianta pedir ao seu filho que não grite, sendo que você vive gritando. Da mesma forma, dizer para não mentir,
enquanto mente, também não resolve. É extremamente importante que você tenha um bom exemplo e com isso notará a importância de ser uma referência para ele.
Papais e mamães, lembre-se de que dizer NÃO é um gesto de amor e que com sabedoria conseguirão educar os filhos sem ressentimento. Também não se esqueçam de dizer SIM nas devidas oportunidades e parabenizar os pequenos
quando atenderem à disciplina.