Brigas de casal podem prejudicar as bençãozinhas

Foto: pixabay.com

Foto: pixabay.com

Brigas e discussões no casamento nunca são legais. Papais e mamães, redobrem o cuidado, evitem brigar e se acontecer alguma discussão que nunca seja na frente dos pequeninos. A criança que presencia discussões, gritarias ou ofensas, pode sofrer traumas psicológicos.

As crianças com menos de sete anos de idade ainda não têm maturidade para entender questões familiares e não compreendem a linguagem usada durante as discussões. Então, quando o seu filho assiste às brigas ele se sente confuso, fica com medo e pode se sentir culpado. Além disso, ele começa a se isolar e se perceber que o problema foi resolvido por meio da briga, ele tende a ter o mesmo comportamento.

As brigas podem desacelerar o desenvolvimento e prejudicar a fala da bençãozinha, que também pode sofrer com pesadelos. Após os sete anos, a criança está mais madura, no entanto, também sofre com as discussões intensas. A briga pode ter até acabado, mas ainda continua na cabecinha do seu filho, deixando-o preocupado e pensativo, já que ele vai tentar arrumar uma solução. O rendimento escolar e a socialização podem ficar comprometidos.

Independentemente da idade, nenhum filho gosta de ver os pais brigarem, então, antes de se entregar a alguma discussão, lembre-se de como isso afeta as florzinhas e soldadinhos de Jesus. Acalme-se para evitar a briga. Não fale mal do seu cônjuge para ter o apoio do seu filho. Caso vocês tenham brigado, explique a ele o que aconteceu e o motivo disso. Fale também que vocês já fizeram as pazes e que está tudo bem entre vocês.

Ah, não se esqueça: os pais são exemplos dos filhos. Dê bons exemplos, seja paciente, não fale palavrões, nem diga ameaças.