Ansiedade na infância: transtorno atinge 10% das crianças

Foto: unsplash.com

Foto: unsplash.com

A ansiedade é caracterizada por uma tensão ou preocupação que surge por conta dos novos desafios, pelas atividades do dia a dia. Sabia que ela também atinge as crianças? Os pequenos não têm controle emocional diante de algumas situações.

De acordo com a revista Saúde, a ansiedade é um dos transtornos mais comuns em crianças, perdendo apenas para o Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH). A revista também aponta que cerca de 10% das crianças sofrem com crises de ansiedade e cinco em cada dez sofrerão com depressão por causa da ansiedade.

Diferentemente dos adultos, as crianças se comportam de várias maneiras quando estão ansiosas. Comparando as reações, alguns quadros podem ser considerados normais e dentro do esperado, como medo, dificuldades em tomar decisões e de se concentrar, indisciplina, isolamento e xixi na cama.

Porém, há casos em que a criança tem uma insegurança excessiva, o que pode ser considerado um distúrbio. Além dos sintomas acima, veja alguns dos comportamentos que indicam distúrbio:

–  Febre e dor de barriga

– A criança começa a não querer ir à escola

– Altera o dia a dia da criança

– Sofrimento excessivo com críticas

– Problemas em se relacionar

– Distúrbios na alimentação. A criança come muito ou para de comer.

Tratamento

tratamento - ansiedade

Se o seu filho é ansioso, procure um psiquiatra infantil. Caso ele tenha algum transtorno, o ideal é a terapia cognitivo-comportamental (TCC), que é baseada no diálogo, em experiências para ajudar a superar os traumas e, se necessário, o uso de medicamento.

Papais, vocês também podem ajudar. Crie um ambiente tranquilo para o seu filho. Evite pressioná-lo ou amedrontá-lo. Não critique, esteja presente e contribua para aumentar a sua confiança. Além disso, leem a Bíblia e orem juntos. Aproveite e mostre que Deus sempre cuida de tudo.